• Resenhas
  • 16 nov 2016

    Resenha: Para Todos os Garotos que Já Amei

    Título: To All The Boys I’ve Loved Before – Para Todos os Garotos que Já Amei
    Autor (a): Jenny Han
    Editora: Intrínseca
    Ano: 2015
    Onde comprar: Saraiva, Submarino, Amazon.
    Classificação: 5/5

     

    Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos. Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

     

    Confesso que não conhecia a autora, e me apaixonei e julguei o livro pela capa. No começo pensei que fosse apenas mais um romance bobinho, onde encontramos uma protagonista chatinha, em dúvida sobre dois garotos, tendo assim o famoso triângulo amoroso. Resolvi dar uma chance ao livro, e pronto: me apaixonei pela história. Os personagens são tão cativantes, que quando a história termina, você não sabe mais o que fazer: se começa a ler de novo, se pega outro livro que acaba deixando de lado por ter se envolvido tanto com a história da Lara Jean, haha. O livro é sim aquele famoso clichê que estamos acostumadas (os) sobre romance, mas acaba sendo um clichê tão gostoso e tão divertido, que você não se importa em já deduzir todos os próximos capítulos.

    As sensações que o livro me proporcionou foi de querer voltar a época da adolescência e reviver tudo como Lara Jean vive no livro. Lembro-me de escrever cartinhas de amor para os meninos que eu gostava, mas diferente da protagonista, algumas cartinhas eu mesma entreguei kkk.

    A história conta sobre os romances – mesmo que platônicos – de Lara Jean, uma típica adolescente passando por todas as fases em que nos encontramos ou já passamos. A personagem é a irmã do meio da família, e tem como irmã mais velha a Margot – um exemplo de responsabilidade, inteligente, e até certos momentos, ‘’perfeita’’ –  e a mais nova a Kitty: uma criança que não parece nada com uma criança. A Kitty é um amor, mas em muitos momentos, é aquela típica irmã mais nova que você faz de tudo por ela, haha e elas moram com o pai, pois a mãe havia falecido, e com isso, acabam que são apenas as três juntamente com o pai que faz de tudo por elas. A relação familiar deles é muito bonita de ser lida, e começamos a ter uma nova noção do que irá acontecer, quando Margot resolve ir estudar em uma faculdade no exterior, e as responsabilidades que ela assumia, passa então para Lara Jean – uma vez que a mesma nunca precisou assumir tantas responsabilidades com a rotina da casa, levar a Kitty para a escola e lugares e etc, fazendo com que a nossa protagonista fique com medo de não conseguir realizar com tanta destreza como a irmã.

    E no meio desse turbilhão de coisas que estão acontecendo em sua vida, ela tem as suas cartas misteriosamente enviadas pelos correios, para os cinco garotos que um dia ela já amou. Com essa bagunça e novas responsabilidades assumidas, Lara Jean terá que saber lidar com todos os novos acontecimentos em sua vida – e querendo ou não, se tornar mais madura. O cativante na história é ver o crescimento e amadurecimento da personagem ao longo dos capítulos, vendo assim, a relação de amor e ódio com Kitty, e se tornando cada vez mais responsável em todas as áreas de sua vida. Além disso, depois que as cartas começam a finalmente serem entregues aos garotos, a personagem tem um plano juntamente com um dos garotos de começar um namoro fake. Só que os dois não tem nada a ver um com o outro, e uma vez que o namoro começa, a autora traz e mostra que as aparências enganam sim.

    Nesse contexto, estaremos diante de um romance para lá de fofo, com direito a fazer ‘’awwwn’’ em várias cenas do livro, além de nos emocionar em tantas outras. Assim sendo, o livro é tão gostoso, que você acaba de ler em um piscar de olhos, pedindo por mais Lara Jean. A escrita na autora é muito boa, fazendo com que seja bem fluída e você não tem vontade de fazer mais nada – só ler sobre a personagem.

  • Resenhas
  • 16 nov 2016

    Resenha: A Garota no Trem

    Título: A Garota no Trem

    Autor (a): Paula Hawkins
    Editora: Record
    Ano: 2015
    Onde comprar: Saraiva/Submarino
    Avaliação: 4/5

     

    ”Ela está enterrada sob uma bétula, perto da velha ferrovia, seu túmulo marcado com pedras. Não mais que um montinho de pedras, pois eu não queria atrair atenção para o seu lugar de descanso, mas também não podia deixá-la sem nenhum tipo de memorial. Ali ela vai dormir em paz, sem ninguém para perturbá-la, sem nenhum som além do canto dos pássaros e do ruído dos trens que passam.”

    O livro nos traz a perspectiva da vida de Rachel – uma mulher divorciada, desempregada, que divide apartamento com uma amiga e ainda, alcoólatra. Com essa pequena descrição, algumas pessoas podem pensar 5 vezes antes de começar esse thriller psicológico – mas acredite: vale a pena. A história é contata na perspectiva de Rachel, onde a personagem está vivendo uma vida estagnada e sem nenhuma emoção. Toda manhã Rachel toma o trem das 08:04 am para Londres. Além disso, todas as manhãs quando o trem para em um suposto sinal, Rachel escolhe uma casa para observar, pois o casal que reside lá, chama bastante a sua atenção pelo fato de sempre parecerem felizes e assim, lembrá-la de seu casamento – que terminou em um divórcio por conta de uma traição.

    Rachel cria nomes para o casal (Jess e Jason), e é como se esse casal se tornasse a sua fuga da realidade, fazendo com que todas as manhãs, a mesma torcesse para encontrá-los do lado de fora da casa para ela imaginar histórias sobre suas vidas. Em uma certa manhã, Rachel percebe algo estranho e totalmente fora do normal em sua rotina de vigiar a casa, e a mulher da casa que ela olhava todas as manhãs, na verdade se chama Megan e está desaparecida. Com essa notícia, Rachel começa a se envolver no desaparecimento de Megan, para tentar solucionar o caso, e assim, descobri o que aconteceu com a Megan.

    Nisso, somos tomados por inúmeros sentimentos com relação à Rachel, pois a personagem consegue irritar facilmente. Por mais que a mesma enfrente o alcoolismo e a depressão, percebemos que a mesma não faz absolutamente nada para tentar reverter o seu quadro. Além disso, a personagem é um tanto quanto problemática, e não me apeguei em momento algum à mesma. Confesso que meus sentimentos por Rachel se resumem em: pena. O livro traz ainda a perspectiva de mais duas personagens femininas:  Megan e Ana. No começo confesso que fiquei super confusa, mas depois a história mostra como cada uma delas é interligada. Por mais que seja um thriller, esperava mais com relação ao desenrolar da história. Confesso ainda que por mais que a história e pensamentos de Rachel seja em Londres e a maior parte da mesma em um trem, em momento algum me senti em Londres ou no trem das 08:04 am.

    A autora pecou em detalhes, entretanto, o livro continua sendo bom. Larguei de mão o livro diversas vezes, mas várias pessoas comentavam pra eu prosseguir e dar de fato uma chance ao livro. E, por mais que inúmeras vezes quis deixá-lo, insisti e não me arrependi. O desfecho final é um tanto quanto surpreendente e vale a pena conferir a história.

    A garota no trem é um thriller psicológico onde nos mostra que existem sim pessoas que vivem apenas de aparência, e além disso, nos mostra o poder que algumas pessoas possuem em manipular tudo ao seu redor. O jogo de manipulação e o ”viver de aparências” é de fato surpreendente tratando-se do livro. Em resumo: o livro trata de ilusões a serem destruídas e verdades totalmente ocultas, e além disso, a influência que pessoas ao nosso redor incidem em nossas vidas.

  • Dicas
  • 16 nov 2016

    D.I.Y – Caderninho

    Olá, meninas!

    Faz bastante tempo que não posto por aqui, não é mesmo?
    Hoje vim ensinar – tentar pra ser mais exata – um D.I.Y para vocês.
    Esse caderninho é um que comprei na Saraiva há bastante tempo já. Na verdade, veio um kit com três caderninhos de capa mole, e eu achei um amor quando vi. Infelizmente não tenho os outros dois, porque na mudança a caixa onde eles estavam se perdeu 🙁
    Mas enfim…
    Esse caderninho usei apenas quatro materiais:
    2 folhas de papel de Scrapbook
    1 Cola
    1 WashiTape
    Sim, apenas esses quatro materiais!
    1) Passo: você escolhendo o tipo de papel que irá usar, basta posicionar o caderno no meio exato dos dois papéis, e colar.
    2) Passo: na lateral passei washitape escolhida.
    Simples, não é mesmo?
    Esse foi o resultado do meu caderninho personalizado.
    Espero que vocês tenham gostado ^^
    Até a próxima :* 
  • Dicas
  • 5 set 2016

    Comprinhas de Agosto/Setembro

    Ei pessoal! Tudo bem com vocês?

    Hoje gostaria de postar pra vocês algumas comprinhas que realizei nesse finalzinho de Agosto – sei que já estou atrasada, pelo simples fato de hoje já ser 05 de Setembro, haha.

    E nessa comprinha, ainda está para chegar meu livro de coreano e mais dois batons da Kylie <3

    Mas, por enquanto, vou postando esses itens que já chegaram, e assim, vocês podem me dar um feedback. Com relação ao batom da Kylie que estarei postando a imagem a baixo, a cor que escolhi foi a Exposed – estou testando tem uns 4 dias já, e já já prometo uma resenha bem legal pra vocês.

    Além do batom, também comprei um iluminador da BECCA – e estou há 4 dias também testando o mesmo – confesso que está superando minhas expectativas.

    14218390_1144118225624149_1035418628_n
    Nesses quatro dias de teste, estou totalmente apaixonada pela textura do batom. Não queria dar muitos detalhes, pois prometo uma resenha bem legal com relação ao Exposed – e assim que os outros dois chegarem, vai ficar bem legal mesmo e espero que vocês gostem.

    Confesso que sou uma pessoa apaixonada por livros. Entretanto, já havia algum tempo que minha prima comentou comigo sobre os livros da Carina Rissi, e eu gostei bastante. Sempre que ia na Saraiva de minha cidade, nunca encontrava os livros – apenas o Encontrada. Até que o site da Saraiva fez uma mega promoção, e consegui comprar cada um por R$17,60 reais 😮

    14256768_1144118232290815_641475434_n
    Não pude deixar essa oportunidade passar, não é mesmo? E, juntamente com os três livros da Carina Rissi, comprei Menina de Vinte, da Sophie Kinsella. Ainda não comecei a ler, pois tenho vários livros na frente dos quatro :/
    14269283_1144118235624148_1008933186_n

    Mas estou super ansiosa para começar com Menina de Vinte. Dizem que é um dos melhores livros da Kinsella, será? Até hoje só li O Segredo de Emma Corrigan, e morri de rir. Me disseram que Menina de Vinte é um ótimo livro que encontrarei diversão garantida.

    E ai? Vocês já leram algum desses livros?

    Espero um feedback de vocês 🙂

    Página 5 de 512345