TAG: books
  • Resenhas
  • 17 jul 2017

    RESENHA: AGORA E PARA SEMPRE, LARA JEAN

    Título: Agora e Para Sempre, Lara Jean
    Autor (a): Jenny Han
    Editora: Intrínseca
    Ano: 2017
    Onde comprar: Amazon /Saraiva
    Classificação: 5/5 <3

    Sinopse: Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a Sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito – organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura -, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família – e, quem sabe, o amor de sua vida – para trás.

    Ei gente! Tudo bem? Hoje finalmente resolvi voltar com as resenhas no blog <3 fazia algum tempo que estava sem postar por aqui – por conta da correria que já expliquei no post abaixo. Sendo assim, nada mais justo do que voltar com um dos livros que mais aguardei pelo lançamento aqui no Brasil. Pra quem me conhece, sabe que sou apaixonada pela Lara Jean, e com essa conclusão não poderia ser diferente. Bom, mas chega de blá blá blá, e vamos ao que interessa: RESENHA!

    Quando paro para observar o universo de Lara Jean, me perco no meu passado adolescente. Me apaixono por cada história que li e pude assim, saber que os sentimentos ali explorados pela autora são de fato reais. Nesse terceiro e último livro da trilogia, temos uma Lara Jean que evoluiu, e que – como gosto de pensar – apenas está iniciando sua jornada pela vida – assim como todos nós. Somos tomados por sentimentos uma vez já vivenciados, e assim, por todas as dúvidas e incertezas com relação ao nosso futuro. 

    Sabemos que por mais que desejamos adiá-lo, o futuro chega sem avisar! Chega nos trazendo surpresas e que nem sempre são como gostaríamos que fossem – e com a nossa personagem não foi diferente. Com toda a sua caminhada para ser iniciada – desde o primeiro namorado, a primeira vez, a escolha da faculdade – até a responsabilidade de um casamento em sua família <3

    Bom, em minha opinião sincera, não havia como a autora concluir essa trilogia de forma diferente. O mais legal, é que sabemos dos caminhos traçados por todos os personagens – não deixando assim dúvidas no ar. Além disso, o bacana da conclusão da mesma, é que o final terminou de um jeito tão inocente e fofo que não tem como não se emocionar. Tão real. Tão Lara Jean <3

    Para quem ainda não leu, peço que comece desde ontem pois é de fato uma leitura fofa, tranquila e amorzinho que vale a pena ter na sua lista de livros lidos <3

    E vocês? Já leram os livros?

  • Dicas
  • 13 fev 2017

    Relendo Harry Potter <3

    Oi gente! Tudo bem?

    Hoje resolvi compartilhar com vocês uma experiência que três amigos meus e eu estamos começando. Pra quem me conhece, sabe que sou fã de Harry Potter, e assim como eles, nossa paixão pelo universo mágico só tem a crescer. Sendo assim, propus relermos todos os livros – série completa – do mundo mágico criado por J.K Rowling. Com isso, pra quem tem interesse em reler os 7 livros me avisem para quem possamos fazer algo bem organizado.

    Resolvemos que iremos ler três capítulos por dia. Como moramos no Espírito Santo, vamos nos reunir para discutir cada livro lido. Pra quem não mora no Estado, podemos pensar em uma maneira que possa incluí-los nas discussões sobre cada livro. Ninguém sabe disso então:  aqueles que estiverem lendo com a gente, vão concorrer à uma surpresa no final – surpresa apenas no término do 7 livro. 

     

    E então? Ansioso (a)? Prepare-se e vá imediatamente para o Expresso Hogwarts, e embarque com a gente nessa aventura.

  • Resenhas
  • 1 fev 2017

    Resenha: O Duque e eu

    Título: O Duque e eu
    Autor (a): Julia Quinn
    Editora: Arqueiro
    Ano: 2013
    Onde comprar: Amazon|Saraiva |Submarino
    Classificação: 4/5
    Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida. Primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons, O duque e eu é uma bela história sobre o poder do amor, contada com o senso de humor afiado e a sensibilidade que são marcas registradas de Julia Quinn, autora com 8 milhões de exemplares vendidos.
    Quem diria! Eu, Talita lendo romance de época, haha. Confesso que não é meu gênero favorito, entretanto, resolvi dar uma chance para o gênero que arranca suspiros das formas mais diversificadas de adolescentes e jovens de nossos dias atuais. Quando conheci a autora, foi por acaso na livraria de minha cidade. Resolvi comprar pra dar uma chance, porém não li. Nesse meio tempo, houve um evento literário em minha cidade sobre romance de época, e foi nele que resolvi que iria ler O Duque e eu.
    Assim que peguei o livro para ler, confesso ainda que deixei o mesmo um pouco de lado, entretanto, indiquei para uma amiga e ela leu primeiro que eu risos. Por mais que o livro seja de um gênero que não é de longe um de meus favoritos, posso afirmar com todas as letras que me apaixonei por O Duque e eu.
    Somos apresentamos a família Bridgerton – uma família nada comum até mesmo para a época. Uma família composta por oito filhos e seus nomes são em ordem alfabética. O livro é o primeiro da série Os Bridgertons e vai contar a história da quarta filha da família, entretanto, a mais velha entre as meninas a Daphne Bridgerton. Nossa protagonista é a famosa mocinha de livros de romance de época: sonhadora, deseja casar com um homem que possa fazê-la feliz, e além disso, que possa lhe dar uma família grande assim como a sua. Mas diferente das mocinhas de sua época, Daphne é um tanto quanto diferente, tendo em vista que ela é uma moça muito simpática, decidida e tem vários amigos – mas nenhum a corteja pelo fato de considerá-la amiga – e também por outro fato que descobrimos no livro, haha.
    Por outro lado, temos Simon Basset: o duque libertino de Hastings. Simon não veio de uma família grande e estruturada como Daphne, e por conta de ter sofrido em sua infância, o mesmo é um tanto quanto fechado para o amor. Porém, logo que os dois se conhecem, são atraídos um ao outro – não apenas como amantes, mas também pela amizade entre os dois. Ah! E vale super a pena dizer que Simon é o melhor amigo de Anthony Bridgerton, o irmão mais velho de Daphne. Nessa situação, somos tomados por momentos intensos entre os personagens, além da amizade sincera de Daphne e Simon. Conhecemos um pouco os membros dessa enorme família – e eu já tenho meu favorito, porém é o quarto livro. Por mais que eu tenha gostado do livro e dos personagens, haviam momentos em que eu não tinha paciência alguma com Daphne e Simon.
    Mas logo passava essa falta de paciência com os dois, haha. No começo a leitura foi um pouco difícil, tendo em vista que não é meu gênero de leitura favorito – sempre corro quando o livro é romance de época, haha. Mas eu realmente me rendi, e já estou lendo o segundo livro dessa maravilhosa série. O Duque e eu já entrou para minha lista de favoritos desse ano, e confesso que se continuar nesse ritmo, iriei de fato amar essa série. E vocês? Já leram os livros?
    Simon não desejava ser o heroi de ninguém, mas nem ele poderia ignorar um insulto dessa magnitude.
  • Resenhas
  • 1 fev 2017

    Resenha: Histórias de Hogwarts

    Título: Histórias de Hogwarts: Poder, Política e Poltergeists Petulantes
    Autor (a): J.K Rowling
    E-book
    Onde comprar: Amazon
    Classificação: 5/5 ❤
    Tudo que envolva o universo mágico de J.K Rowling vale a pena ser lido, não é mesmo? E com esse e-book lançado pelo Pottermore não seria diferente. Assim que fiquei sabendo dele e dos outros 2 e-books corri no site da Amazon e os adquiri. Confesso que ainda não li os outros dois, entretanto, a resenha de hoje falaremos sobre Poder, Política e Poltergeists Petulantes.

    O e-book traz várias informações e nos apresenta personagens que já conhecemos, e ainda, como e porque daquele personagem ser do jeito que conhecemos. Na verdade, conta um pouquinho da história de cada – e achei isso super interessante. Bom, no primeiro capítulo temos a história de nossa querida sóquenão Dolores Umbridge. Achei bem interessante a forma com que a J.K a descreve com ”a aparência de um cupcake decorada, mas não tinha nada de doce”. Ela ainda traz no início a data de aniversário, qual a varinha da bruxa, qual casa ela pertenceu e suas habilidades especiais. No decorrer do primeiro capítulo temos uma apresentação do passado sombrio da mesma. Sobre sua família, de como ela chegou ao poder e etc. Acabamos conhecendo um pouco mais afundo uma das bruxas mais odiadas no universo mágico.

    No segundo capítulo temos a presença dos Ministros da Magia de Azkaban. Confesso que gostei bastante, pois vai passando e comentando sobre cada Ministro que assumiu e em que ano o mesmo ”governava”. Achei úteis as informações, e nesse capítulo, conseguimos conhecer o passado e presente do Ministério da Magia.

    No terceiro capítulo é o maior capítulo, pois o mesmo trata sobre Horácio Slughorn, Porções, Porção Polissuco e Caldeirões. Conhecemos mais afundo o professor Horácio e seu elitismo entre os alunos, pois sempre estava em busca de pessoas que possuíam poderes excepcionais. Além disso, é o famoso professor que adorava Tom Servolo Riddle: uma vez que o mesmo conseguiu descobrir através de seu professor como criar Horcruxes. Com relação as porções J.K traz explicações assim como fala sobre Porção polissuco e explica mais um pouquinho sobre a famosa porção que nos é apresentada nos livros e no segundo filme de HP. Comenta ainda um pouquinho sobre a figura dos caldeirões e como a figura dos mesmos são tão importantes para a comunidade bruxa.

    Já no quarto capítulo descobrimos um pouco mais sobre o professor Quirino Quirrell – o primeiro professor de Defesa Contra as Artes das Trevas de Harry Potter. Ficamos sabendo ainda como e porque Voldermort o escolheu para habitar temporariamente em seu corpo.
    E por fim, o quinto capítulo Pirraça, o poltergeist temos a história de nosso fantasma favorito: O pirraça. Pra quem já leu os livros, com certeza sentiram a falta dele nos filmes assim como eu. De acordo com J.K: poltergeist seria pelo simplesmente um fantasma barulhento, haha.
    Para quem ainda não leu, super indico os e-books. Com certeza vocês irão amar todas as explicações. Sem contar que no final de cada capítulo, temos reflexões da J.K Rowling e os comentários são super válidos.

  • Resenhas
  • 1 fev 2017

    Resenha: Como eu era antes de você

    Título: Como eu era antes de você
    Autor (a): Jojo Moyes
    Editora: Intrínseca
    Ano: 2013
    Onde comprar: Amazon|Saraiva|Submarino
    Classificação: 5/5 ❤

     Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.
    Um livro/filme que tem como tema principal a música Photograph de Ed Sheeran não podemos esperar pouca coisa, não é mesmo? Uma música que é capaz de despertar toda paixão que existe em seu coração, onde a letra diz: Amar pode curar. Amar pode remendar sua alma e é a única coisa que eu sei. Eu juro que fica mais fácil. Lembre-se disso em cada pedaço seu e é a única coisa que levamos conosco quando morremos.
    Pensei bastante antes de começar essa resenha para o blog, uma vez que meus sentimentos com relação ao livro são de fato um tanto quanto contrário a maioria das pessoas. Analisei o livro da perspectiva de Will Traynor, e não apenas o conto de fadas que as pessoas idealizam ao ler Como eu era antes de você.
    Quando lembro desse livro, sinto todas as emoções que um dia quis esconder dentro de mim. A autora desperta todas os detalhes de um amor um tanto quanto impossível – pois ambos os lados sentem algo um pelo outro, entretanto, apenas uma pessoa está de fato pronta para se entregar e abrir mão de tudo por conta de um amor. A história do livro Como eu era antes de você nos apresenta Louisa Clark – uma típica jovem de 26 anos vivendo sua vida da forma mais comum possível. Tem um emprego que possibilita sua monotonia – que depois é quebrada, lógico – uma jovem em um relacionamento que visa apenas o lado de uma pessoa, onde a mesma abre mão de sua vida para viver a vida de outra pessoa, e além disso, uma jovem que não só abre mão de sua vida, mas também de seus sonhos e vontades por conta de sua família.

    Por outro lado temos Will Traynor: um típico homem que viveu sua vida da melhor forma possível, super ativo e esportista que estava a frente da empresa de sua família. Porém, o mesmo teve um trágico acidente, onde tornou-se tetraplégico. Com o advento do acidente, Will não se encontra mais feliz como antes e assim, planeja de fato dar um basta ao seu sofrimento.
    Nesse contexto somos apresentados a um romance utópico entre os personagens, tendo em vista que Lou mais uma vez está disposta a abrir mão de seu eu, para fazer e ser feliz com Will. A partir do momento em que Lou e Will começam a se envolver de fato, somos convidados a pensarmos o seguinte: até que ponto os nossos sentimentos nos tornam reais tendo como base o ”abrir mão de si mesmo” para a felicidade de quem se ama? Lou estava disposta, esperando que Will abrisse de fato o seu coração para que ela lhe mostrasse o mundo se possível. Entretanto, será que aquela frase que assistimos no filme ”Antes que o dia termine” existe de fato? Que em um relacionamento sempre haverá alguém que irá amar mais, se entregar mais. No romance de Jojo não seria diferente: um lado deseja entregar seu coração aos sentimentos com todas as suas forças; por outro lado, temos uma pessoa que por mais que deseje que o romance se torne real, não teria coragem de pedir para que a pessoa se prendesse a ela.

    E com isso, observo atentamente que há de fato amor por ambos os lados – mas cada um sabe a sua limitação ao poder de amar, sabe até que ponto se entrega ou não a um relacionamento. E por mais que esperamos uma decisão diferente do personagem, o mesmo não vê outra saída – e devemos entender isso. A vida de uma pessoa é sua por completo. Eu entendo o lado de Will, entendo mesmo. Por mais que Lou pudesse fazer o impossível acontecer para que ele se tornasse feliz, não seria o bastante.
    Além disso o romance nos trás boas reflexões, uma vez que Will desperta tudo que existe de melhor em Lou – a personagem começa a sonhar novamente – e em meu ponto de vista, os sonhos são os combustíveis de nossas almas – começando assim a relembrar todos os fatos e tudo aquilo que já foi importante em sua vida. E isso não em preço. Faz com que nossa querida Lou reencontre o seu lugar ao mundo despertando assim, seu encontro consigo mesma.
    Confesso que adoro livros onde as personagens se encontram não em amores, mas em si. E por mais que algumas pessoas não tenham gostado do final, em meu ponto de vista, o amor não é só o fato de viver romantizando todos os momentos – mas viver todos os momentos como se fossem os últimos, e assim, trazendo tudo que há de melhor em desejos e sentimentos que acabaram adormecidos em algum canto de seu ser.
    Jojo Moyes nos traz a reflexão de que além de sentimentos por outras pessoas, precisamos de fato, de nos encontrar, para que assim possamos viver um romance, e nos entregar ao amor.
    É que… não aguento pensar que você vai ficar aqui pelo resto da vida. – Ele engoliu seco. – Você é muito inteligente. Muito interessante. – Ele desviou os olhos de mim. – Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.

  • Resenhas
  • 29 nov 2016

    Vídeo Black Friday

    Ei gente, tudo bom?

    Resolvi vencer a timidez e comecei a fazer vídeos para o canal do blog no YouTube. Nesse primeiro contato, mostrei os livros que adquiri na semana da Black Friday aqui do Brasil, e confesso que estou muito satisfeita com as minhas compras <3

    Comprei todos os livros – com exceção do Box Saga Encantadas que comprei na Submarino – no site da Amazon. Gostei bastante de ter feito esse primeiro vídeo, e pretendo com certeza continuar fazendo novos vídeos, juntamente com resenhas para o canal e blog.

    15232083_1221688157867155_4544732869263901041_n

    No vídeo pude mostrar um por um, e comentei rapidamente sobre o porquê de ter adquiri-los. Caso vocês queiram ver na integra cada um, é só clicar no link a seguir Livros da BF.

  • Dicas
  • 24 nov 2016

    Elenco dos Sonhos – A Seleção

    Ei gente! Sou oficialmente apaixonada pela série de livros A Seleção da Kiera Cass.

    Confesso que quando vi o livro pela primeira vez na Saraiva, achei a capa incrível, mas acabei não comprando. Depois de ler algumas resenhas no blog da Melina Souza e da Pâm, resolvi me entregar ao livro, e então comprei A Seleção e A Elite no site da Submarino.

    Assim que entrei de férias, peguei a Seleção para ler, e não consegui largá-lo até terminá-lo de fato. Sim, eu virei a noite lendo esse livro, haha. Fiquei tão apaixonada pela distopia criada pela autora, que não quis acreditar que já estava terminando de lê-lo.

    Prometo que vou fazer uma resenha sobre o livro, mas hoje estou aqui para falar algo muito sério com vocês. Um tempo atrás disseram que a CW estava pensando em fazer um seriado sobre o livro, e até surgiu alguns nomes para o elenco – depois já falaram que a série foi cancelada. Mas o post de hoje não tem problema se vai ou não ter o seriado – se bem que se tivesse, eu ficaria louca para assistir! Além disso, esse post é do meu antigo blog, e fiz duas alterações no meu elenco para mostrar nesse post pra vocês.

    Como estou reorganizando o blog na nova plataforma e nova roupagem, resolvi migrar esse post antigo de lá, e trazê-lo juntamente com algumas alterações.

    E foi assim que eu resolvi montar o meu elenco para o seriado, haha. *abusadinha*, e gostaria que vocês dessem a opinião de vocês sobre o elenco, e sobre o livro ♥.

    America Singer 

    Não tem como pensar em ruiva melhor para interpretá-la! A Deborah Ann (Jessica Hamby em True Blood), em minha humilde opinião seria perfeita para o papel. Sempre que penso na America, penso na Deboha, sério.

    Maxon Schreave – O príncipe

    Sim, Drew Van Acker, eu vou te roubar de Pretty Little Liars e coloco como o príncipe Maxon! Não estou nem ai, serei com certeza sua eterna súdita, haha. Eu fiquei com várias dúvidas antes de definir o Príncipe, mas acredito que ele seria o meu príncipe IDEAL!

    Aspen 

    15151101_1213465068689464_722026209_n

    No primeiro ”Elenco dos sonhos”, havia colocado o Paul Wesley como Aspen. Muitas pessoas gostaram da ideia, mas disseram algo que faz sentido: ele já está muito visado como Stefan. Então, peguei uma dica das meninas, e coloquei para vocês decidirem entre: Paul Wesley e Liam Hemsworth.

    May Singer 

    Eu acredito que a Sophie Turner (Sansa Stark – Game of Thrones) seria perfeita para a irmã da nossa querida America. Ela tem uma delicadeza incrível, sabe? E como no livro a descreve parecida com a America, acredito que seria bem legal e incrível ela em meu elenco ♥.

    Marleen Tames

     

    Se é para conquistar, que seja a Amanda Seyfried. Cara, ela é perfeita demais! Para a Marlee, fiquei em dúvida entre ela e a Blake Lively, porque vamos combinar que ambas são perfeitas para o papel. Mas acabei escolhendo a Amanda, porque eu acredito que ela além de linda, passa a imagem de uma pessoa fofa, como nossa querida Marlee é :3

    Celeste Newsome 

    Se é para conquistar, conquista logo! Acho que o papel seria perfeito para a Mila Kunis – porque além de perfeita, ela é uma ótima atriz. Sou apaixonada por todos os personagens que essa mulher já fez, meu Deus! Ela é perfeita demais, SOS.

    Rainha Amberly 

    15174645_1213471452022159_1925429580_n

    Sempre que vejo a Amy Bailey e vejo uma mulher fina, elegante e com isso, pensei nela como a Rainha. No primeiro elenco, coloquei a Kelly Rutherford e muita gente comentou que a rainha é morena – sério, havia esquecido desse detalhe. E, como não consegui ainda pensar em uma atriz que eu goste morena clara, optei pela Amy Bailey. Ela interpretou a rainha Kwenthrith da Mércia na série Vikings.

    Gavril Fadaye 

    Não sei, mas sempre que penso no Gavril, penso no Stanley Tucci. Acredito que seja por seu incrível talento! Eu admiro muito o trabalho dele, e como em Jogos Vorazes ele fez o papel de apresentador, pensei em colocá-lo aqui também.

    Então galerinha, esse foi o meu principal elenco do livro A Seleção. Assim, espero que tenham gostado, e caso queiram acrescentar mais alguém, só colocar nos comentários. Gostaria de saber a opinião de vocês, e qual seria o seu elenco. 

    Beijos no