TAG: feminismo
  • Resenhas
  • 28 abr 2017

    RESENHA: LUGAR DE MULHER É ONDE ELA QUISER

    Título: Lugar de Mulher é onde ela quiser
    Autora (s): Ana Paula Barbi, Clara Averbuck e Mari Messias
    Anos: 2014
    Onde comprar: Amazon
    Classificação: 4/5

    Sinopse: Chega de sites de mulher com dicas de como secar a barriga, como se vestir pra agradar homem, como decorar sua casa com itens caríssimos, como ser poderosa em 12 lições. Chega de “moda” que não cabe na maioria de nós enfiada goela abaixo. Chega de regras determinando como uma mulher deve ser, se portar, falar, existir. O Lugar de Mulher, site criado em 2014 por Ana Paula Barbi, Clara Averbuck e Mari Messias, percebeu o que muitos sites femininos ainda não perceberam: mulher não se interessa só por roupa, cabelo, maquiagem, filhos e enlouquecer seu homem em 16 passos.  Feminismo, cultura pop, corpo, sexo, política, auto-estima, consumo e muito mais você encontrará nesta linda coletânea comemorativa com textos publicados ao longo do primeiro ano de existência do site. Porque lugar de mulher é onde ela quiser.

    Ei gente! Tudo bem? Hoje resolvi trazer um livro muito interessante e um tanto quanto instigante! Em um belo dia, estava buscando e-books no site da Amazon, e eis que me deparo com essa imagem. Minha primeira reação: fiquei chocada! Uma mulher com as penas abertas e um globo terrestre entre elas. A segunda reação: morri de rir. Nisso, me instiguei em comprá-lo e começar a ler o mesmo. Então vamos as minhas considerações! (mais…)

  • Pensamentos
  • 8 mar 2017

    Feliz (?) Dia Internacional da Mulher

    Olhando algumas publicações em sites, facebook e até mensagens compartilhadas através do WhatsApp e Messenger, pude analisar que o dia internacional da mulher está sendo comemorado como forma de incentivo ao consumo por muitos lojistas – não os critico por isso. Pude ainda perceber que, por mais que algumas pessoas se ”considerem a favor da igualdade dos gêneros”, estão aproveitando esse momento para gerar mais polêmica com relação ao feminismo – não estou aqui para compactuar ou não sobre determinada assunto, mas fazer com que as pessoas possam olhar para o passado, afim de evitar os mesmo erros no presente.

    Nós mulheres já sofremos muito por sermos apenas mulheres. Sim. Qualquer cultura que você pegue para estudar a história, sempre existe a predominação do patriarquismo. Mulheres eram tratadas como um mísero ser humano. Sem valor. E olhando tudo o que já vivenciamos através da história, percebemos que conseguimos conquistar muitos direitos. Mulheres essas que no passado, lutaram para serem reconhecidas como mulheres capazes e dotadas de inteligência assim como qualquer outro ser humano. Mulheres que fizeram a diferença em seu século. 

    Mas porquê associar feminismo à essa data, Talita? Porque foi através desse movimento que começamos a ter direito a voto, a receber propriedades caso a família não tivesse filhos homens. Ou seja: a luta por nossos direitos começou sim com o movimento feminismo. 

    Em uma publicação de alguma página fazendo uma comparação à Bruno – ex-goleiro do flamengo – algumas pessoas criticavam o posicionamento do STF em conceder através de uma decisão provisória a soltura do mesmo. Além disso, pesquisando sobre o caso na mídia, eis que me deparo com a seguinte notícia: ”goleiro recebe a proposta de nove clubes e desses nove, dois são da série a”, e ainda tivemos torcedores do próprio time pedindo o retorno do goleiro. Por conta disso, uma pessoa comentou que se fosse a Eliza Samudio, não iria conseguir um emprego, seria xingada por todos na rua e tudo mais. E isso me fez pensar o seguinte: até que ponto está indo a razão do ser humano? Melhor: a razão da sociedade brasileira?

    Temos duas histórias sendo comparadas por conta de uma soltura: um homem que mandou assassinar uma mulher, e entregar o corpo para cachorros e uma mulher que esquartejou seu marido e colocou os pedaços em uma mala. Um que está sendo requisitado por times e pedidos de selfies; e uma outra que caso saia, possa sim ser xingada, perseguida por ter matado seu marido. Não estou aqui para dizer que um crime justifica o outro – longe de mim.

    Estou aqui para fazer com que você, caro leitor, possa pensar sobre como a sociedade brasileira está doente. Os dados levantados com relação à lei maria da penha são absurdos. Quantas mulheres continuam sendo agredidas por seus parceiros, mortas e estupradas levando assim, todas as conquistas e glórias do passado por água a baixo? Até quando a nossa bandeira verde e amarela será sujada por sangue por conta da violência contra a mulher? Precisamos dar um basta nisso. Repensar nossas atitudes e estarmos acordadas e esperançosas por um país que não só exalte as curvas de uma mulher mas sim um país que está preparado para abraçar e proteger cada mulher de sua sociedade. 

    Por conta disso, reflita sobre seus posicionamentos, pensamentos e só assim, deseje de fato um feliz dia internacional para as mulheres de sua vida <3