TAG: Seriados
  • Seriados
  • 12 abr 2017

    Friends With Better Lives

    Ei gente! Tudo bem?

    Hoje resolvi compartilhar com vocês uma dica de seriado bem gostosa <3

    Com esse ”boom” do mundo de séries, somos bombardeados praticamente todos os dias com séries e promessas de novas séries a todo momento, não é mesmo? Algumas acabam tendo grande repercussão, e outras apenas passam despercebidas. Em minhas incontáveis visitas a Netflix, eis que me deparei com a seguinte série: Friends With Better Lives. 

    Percebi que tratava-se de uma série de comédia, envolvendo adultos com suas vidas feitas, e até mesmo a construção de novas ideias – tudo aquilo que, querendo ou não, passamos em nosso cotidiano. Sendo assim, resolvi dar uma chance – pelo simples fato de ter visto o ator James Van Der Beek – que interpretou ele mesmo na série já cancelada Don’t Trust The B in Apartment 23. 

    Acredito que a maioria das séries que acabo indicando aqui, são de fato séries que infelizmente foram canceladas, porém, por mais que a mesma seja de fato uma comédia sobre as vidas frustradas ou não de seus personagens, me pego morrendo de rir e acompanhando até os últimos episódios </3.

    Sendo assim, Friends With Better Lives irá contar a história de seis amigos: um casal, um divorciado, uma solteirona e um casal que estão noivos. O mais engraçado disso tudo, é que por mais que seja uma série clichê, encontramos graça naquilo que fazem. O bacana do primeiro casal é que por mais que estejam casados e, levando assim, uma vida bem compacta, ainda encontram momentos de felicidades para compartilhar com os amigos e com os filhos – por mais que os filhos não apareçam direito.

    O divorciado é de fato o mais hilário em minha humilde opinião – tendo em vista que o mesmo tenta voltar a todo custo para a sua ex-esposa. O cara faz de tudo – até mesmo pedalar até sua antiga casa para vê-la. A solteirona é aquela típica mulher moderna, que buscou apenas o prazer profissional – onde a vida acabou passando por seus olhos e ela aproveita a mesma como dá. Os novos noivos são bem engraçados também, entretanto não me vi apegada aos dois. A história de ambos é bem complexa, e ao mesmo tempo vale a pena a reflexão: de irem em busca de se conhecerem melhor a partir do momento em que crescem não apenas como seres humanos, mas também como um casal.

    A temática do seriado em si é bem bacana, e acaba mostrando que por mais que estejamos empenhados na busca de nosso sucesso profissional e pessoal, vale a pena termos os nossos momentos com amigos verdadeiros, e além disso, aproveitar da melhor forma possível cada etapa de nossas vidas. Por mais que seja um seriado de primeira temporada que infelizmente não logrou êxito, vale a pena conferir. São poucos episódios de 23 minutos no máximo.

  • Seriados
  • 28 jan 2017

    Outlander

    Ei gente! Tudo bem?

    Hoje vim trazer para vocês uma dica de série fresquinha que estou amando acompanhar. Para quem me conhece, sabe que não sou muito chegada em romances de época – entretanto, sou completamente apaixonada por séries históricas.

    Quando ouvi falar sobre a série, fiquei muito curiosa com o que ouvi, haha. Mas acabei deixando um pouquinho de lado por conta de outras séries que estava acompanhando na época. Mas agora quero trazer para vocês a minha versão e opinião sobre a primeira temporada de Outlander.

    Acredito que a frase que faz jus ao seriado seja: um coração divido entre dois amores. Mas não estamos falando de quaisquer amores. Estamos falando de amores que ultrapassam a barreira do tempo. O seriado nos é apresentado um casal que logo simpatizei de cara: Clarie Randall e Frank Randall. Ela uma enfermeira e ele um historiador (pelo menos foi isso que entendi assistindo). Ambos estão a serviço da Inglaterra na Segunda Guerra Mundial.

    Com o término da guerra, ela reencontra seu marido e eles partem para uma ‘’segunda lua de mel’’ na Escócia. Frank está interessado em descobrir mais sobre seus antepassados, e Clarie está realmente focada em aproveitar melhor os momentos com seu querido e amado marido. Em uma noite nada comum, Frank convida Clarie para eles assistirem a um ‘’evento’’ em Craigh Na Dun (umas pedras antigas que a população local acredita ser um círculo mágico). Clarie fica tão encantada que acaba voltando sem Frank para Craigh Na Dun, e a partir do momento em que houve algo além da pedra, é levada para a Escócia de 1743.

    A partir do momento em que ela sai de seu século e vai para o ano de 1743, Clarie precisa aprender a viver como uma moça da época vigente, e se acostumar com os costumes e tudo ao seu redor. Além disso tudo, precisa encontrar um meio para voltar para o seu marido – e tentar não se encantar por Jamie Fraser.

    Gente! Que seriado é esse? Sério. Estou perdidamente apaixonada e encantadíssima por toda a temática envolvida da história. Confesso que ainda não li o livro, entretanto, estou tão conectada com a história do seriado, que não consigo pensar em mais nada a não ser Outlander.

    Outlander nos convida a apreciar um cenário totalmente diferente de tudo que já assistimos de séries históricas, e nos ensina a apreciar todos os momentos ao lado de pessoas que amamos. Não sei se acredito muito em vidas passadas, mas quando assisti essa série, fiquei pensando: acho que minha alma gêmea está perdida em outro século.

    Então para quem deseja se envolver em uma série nova, vale a pena apostar em Outlander.

     

    Imagens retiradas do Google.